www.cozinhadamarcia

Como todos os anos, vou fazer promessa para comer menos açúcar, e talvez ainda estou pensando em talvez tentar ficar um ano sem comer chocolate. Sempre achei muito incrível quem faz essa promessa, embora nunca entenda muito os motivos diretos. Não me parece que um ano sem provar nem um pedacinho de chocolate nos deixe mais magros.

Agora, outras razões, as quais tenho a impressão que ninguém pensa muito sobre elas, são excelentes motivos para não se comer chocolate de modo indiscriminado. As principais são o trabalho escravo infantil que ocorre em muitas fazendas mundo afora. A outra é a injustiça do selo de comércio justo – fair trade, teoricamente o comércio pode ser chamado assim se o fabricante do chocolate compra o cacao diretamente de quem produz. Acontece que para isso acontecer a produção precisa ser constante, e o ganho para os pequenos plantadores não passa de um valor em torno de 10% acima do que é pago por um intermediário. Infelizmente, também não evita que o pequeno plantador coloque seus filhos para trabalhar nas fazendas, e permaneça sem escola ou com uma escolaridade falha.  Na época das colheitas todos trabalham no campo nas pequenas propriedades. Melhor que nada? Poderia ser melhor. E é com a esperança que tenhamos momentos melhores no próximo ano, sem trabalho escravo, com atenção a todos os alimentos que ingerimos, e com muita criatividade na cozinha. Por que sim, ainda vale a pena cozinhar em casa, que a Cozinha da Marcia se despede de 2018. Viva 2019!

Mais artigos sobre problemas na cadeia produtiva do chocolate

Conheça as 7 marcas de chocolate que utilizam trabalho escravo em sua cadeia

Relatório sobre as condições de trabalho (escravo e infantil) na produção do cacau